Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias

Alcione vende cd na praia

Publicado em 02 de fevereiro de 2011

POR KAMILLE VIOLA

Rio – Ela vira a cabeça dos fãs e tira qualquer um do sério com seu vozeirão. Agora, Alcione “cai para dentro”, como ela gosta de dizer, e inicia hoje a venda de seu CD/DVD ‘Acesa Ao Vivo, em São Luís do Maranhão’ nos quiosques da orla do Rio, além de estrear temporada no Asa Branca.

“Gostei muito da ideia porque as pessoas sabem que a gente tem um grande concorrente, que é a pirataria nos calçadões. Então vamos levar meu CD/DVD original para os quiosques”, avisa a Marrom.

O projeto terá 25% da renda revertida para obras sociais da Rio Orla, como rampa para cadeirantes e serviço ampliado nos postos da praia e no atendimento a crianças e idosos. “A cidade já devia ter se preparado para os deficientes físicos há muito tempo, o Brasil nunca prestou muita atenção neles. Tinha que ter sempre transporte adaptado, calçadas, shoppings. Ninguém alivia para o deficiente físico”, critica.

A temporada de shows no Asa Branca acontece de hoje a sexta-feira e, depois, na quinta e na sexta-feira da semana que vem, sempre às 22h. A estreia vai ter ingresso promocional a R$ 20 para quem levar um kit para as vítimas das chuvas no estado (lata de leite em pó, 2 garrafas de 1 litro e meio de água e 1 pacote de fraldas descartáveis), com 80% da renda revertidos para a região serrana. Nos outros dias, a entrada inteira custa de R$ 50 a R$ 60.“É horrível demais perder suas casas, suas coisas. Durante alguns meses, aquelas cidades vão precisar de ajuda”, valoriza.

A cantora está feliz com as apresentações na Lapa. “Como eu canto na música do Serginho Meriti (‘Eu Vou Pra Lapa’), adoro a nova e a velha Lapa”, elogia. “Gosto muito de ir ao Carioca da Gema, já cantei muito no Circo Voador, praticamente estreei no Asa Branca , já fui ao Capela. Acho a Lapa muito bonita, aqueles arcos são um desbunde”.

O amor ao samba então permanece? “Nunca deixei de cantar samba, é a música deste país e nele cabe tudo: tristeza, o dia a dia, alegria”, afirma. “Mas o público que gosta de samba também é romântico. Não vou em um pagode em que não tenha que cantar ‘A Loba’”, conta.

“Os críticos pararam de reclamar (da mudança para o repertório romântico), já me respeitam do jeito que sou, sabem que nunca vou fazer um disco linear. Eu gosto de cantar tambor de crioula, reggae, Stevie Wonder, bons sambas, tudo aquilo que me emociona”, garante Alcione, que este ano pretende lançar CD novo e um selo próprio, Marrom Music.


VOLTAR

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!


Faça um comentário

Campos com (*) são obrigatórios

Seus dados
Comentário

Copyright © 2010 - quintaldosamba.com - todos os direitos reservados