Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias

CD com sambas históricos ganha lançamento hoje no Teatro Rival

Publicado em 06 de julho de 2011

Rio  – Respeito, admiração, louvor e gratidão. É assim que o samba é tratado por Tuco e o Batalhão de Sambistas, expoentes da atual cena do samba da Paulicéia. Formado por pessoas que cultuam a tradição do samba de terreiro, mas que bebem na escola do choro e amam e valorizam os grandes da Era de Ouro da MPB, o Batalhão, capitaneado pelo intérprete Tuco, vai lançar seu primeiro CD,“Peso é Peso”, gravado ao vivo, nesta quarta-feira, no Teatro Rival. No show, participações especiais de Monarco e Nelson Sargento.

Tuco e o Batalhão de Sambistas vão lançar o disco no Teatro Rival | Foto: Divulgação

Fernando Pellegrino, o Tuco, foi fundador do extinto Morro das Pedras e também do Terreiro Grande, onde atua como cantor e cavaquinista. Foi nas rodas de samba que aprendeu a cantar em alto e bom som, no gogó, como se fazia no passado com nomes como Ventura, Noel Rosa de Oliveira e Jamelão. Suas interpretações também nos remetem a grandes nomes das rádios dos anos 30 e 40 como Francisco Alves, Roberto Silva e Ciro Monteiro.
“Peso é Peso”, o primeiro disco de Tuco, é fruto de anos de muita pesquisa e dedicação. Foram anos passados em sebos, rodas de samba, convivendo com alguns dos maiores nomes do ritmo mais tradicional do Brasil: Monarco, Nelson Sargento e Cristina Buarque foram importantes fontes para o repertório do disco. Assim como do acervo de José Ramos Tinhorão, disponível para consulta no Instituto Moreira Salles, vieram outras “brasas” pouco conhecidas.
Um disco com tantos sambas inéditos de nomes como dos portelenses Paulo da Portela, Manacéa, Aniceto da Portela, Mijinha, Licurgo, Antônio Caetano, Picolino, Monarco, Chatim, Lincoln e Alberto Lonato; de sambistas da turma de Mangueira de estirpe de Zé Ramos, Nelson Sargento , Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito; e de imperianos do quilate de Antenor do Império e Silas de Oliveira, é mais do que um simples registro fonográfico, é um documento histórico.
Serviço:
Teatro Rival Petrobras. Quarta, dia 6, às 19h30. Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia. Preço: R$ 40 (Inteira). R$ 30 (Os 200 primeiros pagantes). R$ 20 ( Meia). Telefone: (21) 2240-4469.


VOLTAR

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!


Faça um comentário

Campos com (*) são obrigatórios

Seus dados
Comentário

Copyright © 2010 - quintaldosamba.com - todos os direitos reservados