Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias

Definidos sambas maranhenses que disputarão concurso da Beija-Flor

Publicado em 20 de setembro de 2011

Os sambas de Jaílson Pereira, Vicente Melo, Dennys Melodia; de Quirino do Cavaco; e de Gilvan Mocidade, Zé Lopes e Oró do Pandeiro foram os três escolhidos, na noite deste sábado (17), no Ceprama, pela Comissão de Carnaval da Beija-Flor para representar o Maranhão na grande final do concurso que elegerá o samba-enredo da escola carioca, no próximo dia 13 de outubro na quadra da agremiação carnavalesca no Rio de Janeiro. Por uma noite São Luís se transformou na cidade carioca de Nilópolis e os ludovicenses viveram o clima das seletivas da agremiação. O público também pode conferir a apresentação da bateria e de componentes da escola de samba Beija-Flor.

Em 2012, no desfile das escolas de samba no Sambódromo, a Beija-Flor homenageará o aniversário de 400 anos da cidade de São Luís com o tema “São Luís – O Poema Encantado do Maranhão”. Uma comissão de Carnaval da agremiação de Nilópolis esteve na cidade desde quinta-feira (15) participando das duas eliminatórias nas quais foram julgados os 26 sambas inscritos no concurso.
Em duas noites de competição – quinta (15) e sexta-feira (16) – foram selecionados 12 sambas (seis a cada dia) que concorreram na eliminatória no Ceprama. O público compareceu em massa ao local e aprovou a iniciativa do Governo do Maranhão, que, por intermédio das Secretarias de Cultura, Turismo e Comunicação Social, e da Beija-Flor, promoveram e divulgaram o concurso.
“Interessante esta maneira da escolha do samba-enredo porque dá oportunidade aos nossos sambistas”, comentou o bancário Luís Edésio Araújo. “Uma ideia fantástica que divulga a cultura maranhense, além de os cariocas conhecerem um pouco do potencial artístico local”, acrescentou Maria Célia dos Santos, presidente da escola de samba Marambaia.

Sambas
Na festa, o primeiro a ser apresentado foi o samba do compositor Júlio Vinicius Nagem, interpretado por Samy do Cavaco. Na sequência, vieram as criações de Josias Filho, Luzian Filho, Welley Pericles Costa, Laurindo e Mestre Gut; Sílvio Rayol, Carlinhos Diniz e Paulinho Rayol; Jailson Pereira, Vicente Melo e Dennys Melodia; Darlan Oliveira, Lucas Neto e Hakã Silva.
O único concorrente de fora de São Luís, Cláudio Santos Sousa veio de Rosário e foi o sexto a se apresentar. Em seguida, vieram Carlos Quirino dos Santos Filho; Alex Gamboa, Leonardo Pereira de Souza e João Paulo da Silva Falcão; Valmir Sales e Coqueiro da Vyla; e Alysson Ribeiro, Dominguinhos Lopes, Paulo Felipe e Renato Guimarães. Para fechar a noite, Professor José Luís, Luiz Júnior e Maestro Adelino; e Gilvan Mocidade, Zé Lopes e Oró do Pandeiro.
Um dos grandes momentos do espetáculo do Ceprama, durante a apresentação da bateria, foi a entrada no palco para o delírio da platéia da cantora Alcione e do carnavalesco Joãosinho Trinta, ambos maranhenses, que serão homenageados pela escola na avenida. Ambos disseram estar emocionados pelo sucesso da dobradinha Governo do Maranhão/Beija-Flor.
“Parabéns a todos pela escolha de mais uma vez mostrar São Luís para o Brasil, para o mundo”, afirmou Alcione. “É uma emoção muito gostosa ver a minha escola de samba de coração homenagear esta linda cidade”, reforçou Joãosinho Trinta.
Resultado
Representarão o Maranhão as composições de Jaílson Pereira, Vicente Melo, Dennys Melodia; de Quirino do Cavaco; e de Gilvan Mocidade, Zé Lopes e Oró do Pandeiro. “Fizemos um samba dentro da sinopse entregue pela Comissão do Carnaval defendendo os sete setores, passo a passo e com um refrão forte, que animou o público daqui e, com certeza, irá contagiar o público de Nilópolis”, disse emocionado Quirino do Cavaco, um dos três finalistas da fase maranhense.
Para o secretário de Cultura, Luis Bulcão, o principal propósito do governo está sendo alcançado: fazer uma integração cultural entre a Beija-Flor, os artistas maranhenses e os ludovicenses. “Foi determinação da governadora Roseana Sarney de mostrar o Maranhão, mostrar que o estado tem sua música, sua poesia. Vamos ao Rio mostras os atrativos de São Luís, do Maranhão. Este evento foi um ponto de grande auto-estima para os maranhenses”, declarou.
Na avaliação de um dos componentes da comissão de Carnaval da Beija For, o carnavalesco Fran Sérgio, o nível dos sambas-enredos dos compositores de São Luís está a altura dos sambistas do Rio. “Todos os três classificados de São Luís têm chances de competir com os dez finalistas do Rio. Aliás, tudo em termos de cultura no Maranhão nos surpreendeu e com os sambas-enredos não foi diferente”, enfatizou.

Veja a letra dos sambas finalistas

SAMBAS MARANHENSES FINALISTAS

SAMBA1
Compositores: Jaílson Pereira, Vicente Melo e Dennys Melodia. Intérpretes: Adão Camilo e Jaílson Pereira.
Meu “Rio” te abraça
Sagrada Ilha do Amor
O poema é São Luís
Os versos da Beija-Flor
Ô solo fértil iluminado
Pelas mãos do Criador
Sem igual a tua beleza
Três impérios cobiçaram a tua riqueza
Upaon-Açu
No horizonte assim surgiu
Navio negreiro de açoite, escravidão
Um choro de além-mar ecoou no nosso chão
E deu inicio a miscigenação
Tem mina jeje-nagô, candomblé
Na umbanda tocar meu tambor, daomé
Teu rico folclore vem nos seduzir
Bumba-meu-boi, guarnecê e Sapucaí
Lendas e mistérios, encantarias desta cidade
Patrimônio da Humanidade
Dos azulejos, becos e casarões
Poetas grandes imortais
Artistas e seus ideais
A Ilha é a Jamaica brasileira
E diversas manifestações
Encanto no olhar, “olá fofão”
Nas ruas magia, ilusão

SAMBA 2
Compositores: Quirino do Cavaco, Neto Peperi, Carlos Cuíca, Magno Dantas e João Eudes. Intérpretes: Silvinho, Antônio Carlos Araújo, Neto Peperi e Quirino dos Santos
Extensão de areia onde a terra esboça a luz
Nascem as palmeiras onde o sabiá conduz
O canto que ecoa no ar
Da tribo em que vivem homens nus
Bravos que não se renderam aos açoites a escravidão
França te fundou
Portugal colonizou
Invasão flamenga pouco te modificou
Sagrando as águas de terror
Negro chorou lamentações
E no toque do tambor de Daomé
Reencontrou suas paixões
Bumba-meu-boi no mês de junho é tradição
Soam matracas, pandeiros tremendo o chão
Em homenagens a São João
Oh, minha Upaon-Açu!
Cenários de mistérios e assombrações
Milagre de Guaxenduba
E o abraço da serpente sob casarões
Vem, vem festejar, é Carnaval é alegria
Ao som das pedras de cantaria
É de fofão a minha fantasia
Os seus poetas de grande valor
O Eldorado que se revelou
O novo ouro que fluiu do chão
É uma Ilha essa cidade Patrimônio da Humanidade
Vamos voar com a Beija-Flor pra São Luís, Ilha do Amor d Maranhão
Vou declamar pra vocês o poema encantado com emoção

SAMBA 3
Compositores: Gilvan Mocidade, Ze Lopes e Oró do Pandeiro. Intérpretes: Gilvan Mocidade, Tunai Moura, Luiz Barreto, Oró do Pandeiro, Cris Santana e Eline Cunha.
Upaon-Açu
Terra maravilha dos tupinambás
Paraíso de areias, uma aquarela de belezas naturais
Cobiçada por três coroas então
Que navegaram por mares de ambição
Preto canta em dialeto sua dor
Trouxe a magia, o axé, a ginga do candomblé
Querembetã, Casa das Minas
Força divina em seu ritual de fé
Ô, ô seus poetas e cantores, suas praias e sabores
Meu tesouro, meu torrão
Ilha do Amor, minha paixão, poema do meu Maranhão
Bumba-meu boi vem pro terreiro brincar
Crioula, mina, cacuriá
Ao som do reggae eu vou, subo a ladeira
Incendiando a Jamaica Brasileira
Maguda faz visagem, assombração
Em noite e lua cheia
Donana em carruagem passeia
Abraça-me, ó serpente encantada
Minha eterna namorada, Patrimônio Cultural
Sobre as cantarias, a tela perfeita
Suas crenças e raças, belos casarões
Vem…que a festa é do povo
Meu bloco é de rua, lá vem meu fofão
Nesses azulejos de glórias
São quatro séculos de história
Nossa Senhora da Vitória é proteção
Embarabô, lemojubá
Sou negro Mina sou Beija-Flor
Vodun já vai dançar, tem Orixá feliz
Com os tambores da linda São Luís


VOLTAR

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!


Faça um comentário

Campos com (*) são obrigatórios

Seus dados
Comentário

Copyright © 2010 - quintaldosamba.com - todos os direitos reservados