Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias

Já é Carnaval nas ruas, nas quadras e no Sambódromo

Publicado em 09 de janeiro de 2012

Por João Paulo Gondim e João Ricardo Gonçalves
Rio – Nem a chuva nem as obras afugentaram o público: 20 mil pessoas foram ao Sambódromo no primeiro dia dos ensaios técnicos. A Beija-Flor estreou a nova Avenida e homenageou Joãosinho Trinta e o patrono da agremiação, Aniz Abraão David, o Anísio, que em dezembro foi denunciado por formação de quadrilha e chegou a ter a prisão decretada. As quadras das escolas também ficaram cheias e quatro mil se esbaldaram na Praça Tiradentes com o primeiro evento do Carnaval de rua deste ano.

Beija-Flor abre os ensaios técnicos em meio à obra de reforma e ampliação do Sambódromo. Ao fundo, estrutura de camarote ainda inacabada | Foto: Ernesto Carriço / Agência O Dia

Joãosinho Trinta, que morreu no fim do ano passado, foi lembrado pelo público e por faixa estendida por integrantes na Sapucaí com a mensagem ‘Joãosinho Trinta, a família Beija-Flor se orgulha de ter feito parte de sua história’. Com bandanas e faixas, o público, reverenciou o carnavalesco.

No microfone, o intérprete Neguinho da Beija-Flor e o diretor de carnaval da escola, Laíla, defenderam Anísio. “Muita gente anda falando muito do Anísio e perseguindo a Beija-Flor”, desabafou Laíla antes da primeira música, ao microfone. Ao seu lado, Neguinho mandou recado: “Alô, Anísio, a família Beija-Flor ama você”.

Antes de saudar Anísio, Laíla adiantou como a agremiação irá homenagear o carnavalesco: “O trono que ele costumava sentar irá vazio para a Avenida. Também vamos levar o Cristo mendigo, que ele tentou mostrar mais foi censurado”. Segundo ele, a Beija-Flor deverá desfilar com dois mil integrantes. Na prévia de ontem, alas coreografadas animaram o público.

Na plateia, desconfiança sobre a reforma da Sapucaí, prevista para ser concluída uma semana antes do Carnaval, mas ainda com arquibancadas em construção. Os operários não pararam nem durante o ensaio. “Não vai dar tempo de isso ficar pronto”, teme Sueli Jacoud, 78 anos. “A prefeitura garantiu que até 12 de fevereiro as escolas vão poder fazer o teste de luz e som já com o público presente em todo o Sambódromo”, respondeu o diretor de Carnaval da Liga Independente das Escolas de Samba, Elmo dos Santos.

VEJA A REPORTAGEM


VOLTAR

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!


Faça um comentário

Campos com (*) são obrigatórios

Seus dados
Comentário

Copyright © 2010 - quintaldosamba.com - todos os direitos reservados