Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Notícias

Ronaldinho Gaúcho reverencia Monarco

Publicado em 26 de janeiro de 2011

POR RAPHAEL AZEVEDO
Rio – Três dias após se esbaldar na famosa roda de samba do Candongueiro, em Niterói, Ronaldinho Gaúcho optou por um programa mais light nesta terça-feira, depois de um dia de treinamento no Ninho do Urubu. O novo ídolo da torcida rubro-negra esteve no Instituto Moreira Salles, na Gávea, na Zona Sul, para conferir um show especial do portelense Monarco. Dessa vez, no entanto, o craque não tocou tantan como fez no sábado, quando acompanhou Nelson Sargento.
Acompanhado de seguranças, Ronaldinho chegou pontualmente às 20h (início do show) e preferiu ficar quietinho, sentado na primeira fila do pequeno auditório, cantarolando as pérolas do bamba da azul e branco de Madureira. A noite marcou o relançamento do histórico disco de Monarco, ‘Quitandeiro’, feito em 1976.
Ao saber da presença do jogador na plateia, Monarco parou a apresentação e fez uma saudação para o atleta. “Grande Ronaldinho, meu amigo”, disse. Nesse momento, o craque subiu no palco, abraçou o veterano sambista e foi ovacionado pelo público.
Ao ver a euforia da plateia, Monarco, que é torcedor do America, saiu em defesa do jogador. “É só o menino sair que todo mundo fica atrás. Deixem ele se divertir. Quem não gosta de samba bom sujeito não é”, advertiu Monarco lembrando os famosos versos de Dorival Caymmi e levando o público ao delírio. Ronaldinho riu e se virou para agradecer.
Após um desfile de pérolas como “Lenço”, “Tudo menos amor”, “Vai Vadiar” e “Coração em desalinho” (dedicada especialmente ao jogador), Ronaldinho também foi festejado por outro bamba: o pesquisador Sérgio Cabral, que estava apresentando o show. “Ronaldinho, você não é mais Gaúcho. Você é carioca. Você tem um jeito especial, que é a cara do carioca”, brincou o jornalista.
No fim do evento, que durou cerca de uma hora e meia, Ronaldinho foi ao palco de novo e deu um forte abraço em Mauro Diniz, cavaquinista e filho de Monarco. Em seguida, passou no camarim para se despedir do líder da Velha Guarda da Portela e foi embora.
Ao comentar a presença ilustre na plateia, Monarco comemorou: “Ronaldinho já me levou na casa dele em Porto Alegre várias vezes. Ele adora o nosso samba”. Com a sabedoria que lhe é peculiar, o sambista completou: “Quero ele na Seleção para acabar de vez com esses demagogos”. Palavra de mestre.


VOLTAR

Nenhum comentário

Você pode ser o primeiro a comentar!


Faça um comentário

Campos com (*) são obrigatórios

Seus dados
Comentário

Copyright © 2010 - quintaldosamba.com - todos os direitos reservados